Respiradores: representante diz que modelo não serve para a UTI

Balanço Geral Florianópolis

De segunda a sexta, às 12h

Um empresa do interior de São Paulo trouxe ainda mais desconfiança ao já conturbado processo de compra dos 200 respiradores que custaram
R$ 33 milhões ao Estado.

O dinheiro foi pago adiantado e até o momento, a Veigamed só entregou 50 equipamentos. Agora, tem uma outra empresa, que se apresenta como a representante legal da fabricante, dizendo que esses equipamentos importados não servem para UTI.

Confira os detalhes na reportagem do Balanço Geral.

Mais vídeos