Tribunal de Contas realiza vistoria nas pontes de Florianópolis

Balanço Geral Florianópolis

De segunda a sábado, às 11h50

Durante a manhã desta quarta-feira (10), por volta das 7h30, a equipe de engenharia do TCE (Tribunal de Contas do Estado) esteve na ponte Colombo Salles, em Florianópolis, e por quase uma hora foi realizada a vistória sobre a estrutura.

Com apoio da PM (Polícia Militar) a pista da direita foi fechada por cerca de uma hora. Caminhando pela estrutura, os engenheiros foram analisando e fotografando vários pontos para compor um relatório. O que mais chamou a atenção da equipe foram as juntas de dilatação que em alguns pontos do local já estão bastante deterioradas.

Este relatório será colocado junto a outra parte que o Tribunal de Contas fez no mês de junho, quando os engenheiros passaram de barco por baixo das pontes Pedro Ivo e Colombo Salles e analisaram toda a estrutura na parte inferior. O que mais chamou atenção nessa análise foram os pilares de sustenção das duas estruturas.

As duas vistorias irão compor um relatório que faz parte de uma auditoria do TCE. Essa auditoria tem o objetivo de acompanhar toda a manutenção das estrutras, controlando o cronograma e evitando que o valor já estipulado para esta reforma não seja extrapolado.

“Nosso objetivo maior é colaborar para que a manutenção ocorra de acordo com os trâmites legais”, afirma o diretor de obras do TCE, Rogério Loch.

De acordo com Loch, não é possível afirmar que haja comprometimento da estrutura. Porém, existem evidências que mostram a degradação acentuada dos pilares em alguns pontos que precisam de tratamento urgente.

Leia também:

Passarela também é problema

Após a caminhada pela ponte Colombo Salles, os engenheiros do TCE aproveitaram para ver de perto a situação da passarela de pedestres da ponte Pedro Ivo. A estrutura também chamou a atenção pela falta de manutenção.

Problema constante

Na noite desta terça-feira (9) foi realizado um trabalho de manutenção na ponte Pedro Ivo. Das 23h às 1h, a chapa de metal colocada no último sábado (6) foi avaliada por especialistas. Durante a noite foi realizado reforço neste material como forma preventiva. Não há parafusos à disposição para fixar a placar original.

Parafusos para sustenção da medida devem chegar no próximo dia 22. Até lá, a Secretaria de Infraestrutura do Estado deve realizar toda semana uma manutenção no local.

Com a chegada dos novos parafusos, a secretaria está discutindo a estratégia para colocação, pois não são apenas os parafusos deste pedaço que se soltaram, mas sim de todas as juntas de dilatação.

Na manhã desta quarta-feira (10) ocorreu uma coletiva da Secretaria de Infraestrutura do Estado que falou mais sobre o trabalho realizado. A ideia é estabelecer uma equipe de prontidão, 24 horas. Segundo informações, esta equipe já está montada, fazendo parte a Polícia Militar, além da empresa que irá fazer a manutenção das estruturas.

A ideia é que agora se resolva qualquer problema que acontecer nas pontes em pelo menos duas horas. Ao contrário do problema do último sábado (6), onde a placa se soltou por volta das 8h30 e o problema foi resolvido apenas às 13h.

“Dentro das medidas que foram adotadas na últimas vistoria, fizemos um plano de monitoramento. A cada três ou quatro dias estaremos fazendo revisões. Não necessariamente vão haver fechamentos de pistas”, explica o secretário adjunto de Infraestrutura, Thiago Vieira.

Ainda segundo a Secretaria de Infraestrutura, na noite desta terça-feira (9) foram vistoriadas todas as outras juntas de dilatação. E segundo análise, hoje, não há nenhum tipo de risco.

Possível multa

Uma multa deve ser aplicada a empresa contratada para realizar a manutenção das duas pontes. Por enquanto, não há um valor estipulado para esta multa. Isso porque o governo do Estado, durante esta quarta-feira (9), deu um prazo de cinco dias para a empresa apresentar a defesa.

Mais vídeos