Assim como em 1999, Renan Dal Zotto partirá do zero para formar novo time na Capital

Dirigente busca novos parceiros para continuar o projeto

Luiz Pires/Vipcomm/ND

Renan Dal Zotto busca uma empresa catarinense para firmar parceria

O ano de 1999 foi um marco para o vôlei catarinense. Depois de dois anos sem uma equipe de ponta em Santa Catarina, o Estado voltou a ser representado nacionalmente com a criação da Unisul, em Florianópolis. O projeto, concebido pelo ex-jogador da seleção brasileira Renan Dal Zotto teve o bicampeão olímpico Giovane Gávio entre os jogadores e conquistou a Superliga em 2004.
Na temporada seguinte, veio a parceria com a Cimed. Foram cinco finais de Superliga e quatro títulos nacionais nos primeiros cinco anos do novo projeto.
Mesmo com o fim da parceria com a empresa de medicamentos na semana passada, Dal Zotto não perdeu as esperanças de manter um time de vôlei em Florianópolis. “Vou começar tudo do zero. Sei que vou receber vários ‘nãos’ no meio do caminho, mas é normal. O mais importante é não deixar o projeto acabar”, afirmou o dirigente, que está atrás de novos parceiros.
Segundo Dal Zotto, já há algumas empresas interessadas em dar continuidade ao projeto. “Estou em contato, algumas, inclusive, foram bem receptivas. Estamos analisando e vendo quais têm o nosso perfil”, explicou. “Nosso projeto é nacional. Mas gostaríamos muito de fechar uma parceria com alguma empresa catarinense, que se identificasse com o projeto”, revelou.
Com o futuro incerto, sete jogadores já deixaram o time e Bruninho deve ser o próximo. Renato Russomano, Rivaldo e Murilo acertaram com o Campinas, Éder fechou com o Sesi, João Paulo foi para o Castelana Grotte, da Itália, e Giba e Gustavo saíram com a Sky. O levantador Bruninho deve acertar com o RJX até o fim da semana.
Mesmo assim, Dal Zotto espera fechar com um novo patrocinador até o fim do mês e formar uma equipe competitiva para a temporada 2012/2013. “É complicado, mas temos dez dias para fechar a parceria, nos estabilizar e tentar montar um time competitivo”, projetou.

Prefeitura e governo continuam no time

Apesar da busca por um grande patrocinador, a Prefeitura de Florianópolis e o governo do Estado manterão o apoio ao time da Capital. Desde o início do projeto a equipe mantém uma parceria com a prefeitura e tem como sede o ginásio municipal Saul Oliveira, o Capoeirão, com capacidade para duas mil pessoas.
O novo superintendente da Fundação Municipal de Esportes, Erasmo Damiani, que assumiu no dia 9, reiterou o apoio ao time. “A prefeitura tem uma parceria com a Cimed. Deve mudar o nome do clube, mas as chances de permanecer em Florianópolis são de 99%”, garantiu. Segundo Damiani, o novo projeto será um recomeço e irá priorizar o trabalho de base. “A Cimed chegou ao topo. Agora, a ideia é retomar o projeto como foi no início. Montar uma equipe de base, ir trabalhando. Se será uma equipe que disputará títulos ou não, é consequência”, afirmou.

Acesse e receba notícias de Florianópolis e região pelo WhatsApp do ND+

Entre no grupo
+

Vôlei